17 abril 2014

Desabafo | Soldados em busca da vitória

| |
Olá gente, tudo bem? Primeiro: desculpas, estou escrevendo esta postagem pelo celular porque eu não sei o que aconteceu com meu notebook que ele não está pegando algumas teclas, e isso atrapalha na hora de escrever, então só irei revisar tudo nele. Segundo: não pretendo voltar a escrever com frequência no blog por conta da escola. Agora que estão cientes de tudo, vamos lá.

Hoje durante a aula fiquei muito pensativa. Um pequeno trecho que eu li na aula de história falando sobre a primeira guerra mundial, do qual eu gostei, e depois que a diretora entrou em nossa sala foram os motivos de eu voltar pra casa com a finalidade de mudar. Mudar na forma com que eu trato as minhas responsabilidades. Andava cada dia pior nas matérias e não conseguia entender nada, mas a única coisa que eu fazia quando chegava em casa todos os dias era ficar até oito horas no computador e sempre tinha muita lição para o próximo dia. É o meu futuro em jogo e nessa semana tentei melhorar, e as grandes palavras da minha diretora foram apenas um impulso.
O trecho que encontrei na apostila enquanto estudava história não tem nenhuma relação com o que estou compartilhando, mas acho que em minha cabeça ao menos faz algum sentido. O trecho:
“(...)
Contudo, os ex-soldados que haviam passado por aquele tipo de guerra, sem se voltar contra ela, ás vezes extraíam da experiência partilhada de viver com a morte e a coragem um sentimento de incomunicável e bárbara superioridade - inclusive em relação a mulheres s homens e não combatentes - que viriam formar as primeiras fileiras da ultradireita do pós-guerra. (...)”

Esse trecho tem de ser levado pelo resto dos meus anos letivos. A guerra são nossos dias, nas escolas, no trabalho ou seja no que for; os ex-soldados são os estudantes que batalharam até o final dos anos letivos e que realmente tiraram algum conteúdo de tudo; os não combatentes são aqueles que sempre estão ao nosso lado nos incentivando nos estudos, pais e outros familiares, que quando enxergam nossa vitória, declaram vitória também a eles mesmos. Obviamente não vivemos com a morte, mas não estamos tratando o texto literalmente. Agora pretendo tomar meu rumo corretamente, tratar tudo com compromisso e responsabilidade.

Esse considerável desabafo foi algo bom de ser escrito. Sei que vocês só andam encontrando textos e mais textos sem fundo e conteúdo no blog, mas espero que logo eu possa ter paciência para escrever uma resenha ou algo do tipo. É isso, amanhã não terei aula, finalmente, e talvez saia postagem. Beijos 

Nenhum comentário:

Postar um comentário