10 agosto 2015

Os Adoráveis, Sarra Manning

| |
Olá gente, tudo bem? Faz muito tempo que não comento sobre livros com vocês, mas agora criei coragem e vergonha na cara para falar de uma das minhas últimas leituras. Só queria dizer que vou mudar um pouco meu padrão de resenhas, vou fazer apenas comentários que eu achar válidos e necessários, e não me prender a todos os aspectos de uma resenha, além de que não pretendo sempre dar nota aos livros, o que é algo muito difícil. 
Durante a maratona literária de inverno eu comprei e li o livro Os Adoráveis, da Sarra Manning. Uma leitura muito leve que eu não me arrependo.

Adorkable é o blog de Jeane Smith, onde ela compartilha seu estilo e vida dork. Morando sozinha, ela tem que lidar com seus problemas familiares e adolescente e seu lado adulto, onde passa seu tempo no computador administrando o blog, sua marca, eventos e palestras, e testando produtos, ao lado de diversas balas Haribo, e assim permanece se sustentando sozinha. Muitos a chamariam de arrogante, mas duvido que Jeane se colocaria neste nível para responder alguém que a chamasse assim, e apesar de tudo é um grande doce em seu twitter. Temos também Barney, seu namorado que, repelido pela arrogância de Jeane - ou simplesmente por ser um garoto tímido -, logo se torna seu ex, mas permanece seu melhor amigo.
A história começa a mudar quando vemos Michael Lee, que totalmente oposto à Jeane, é super popular, tem uma família estruturada, não ganha seu próprio dinheiro e adora usar roupas na Hollister e na Abercrombie & Fitch. Mas ao se cruzarem, começamos a entender cada personagem, seus sentimentos e sua importância.


De início é difícil de entendermos o jeito nada comum de Jeane, em sua arrogância. Porém, vemos que sua história vai muito além de querer ser uma pessoa diferente, uma hipster qualquer ou uma garota que apenas quer chamar atenção, mas ela é realmente alguém complexa. Ela tem problemas com sua família e muitas vezes simplesmente sente falta dela, ou de sua aceitação. E existem diversas camadas até você conhecê-la de verdade. E ela simplesmente ter que viver como uma adulta, e pulando uma fase de sua vida, torna tudo um grande desafio e um grande peso pra uma adolescente, que ainda está "se descobrindo" e lidando com seus problemas, acima de tudo.
Uma coisa que podemos enxergar como reflexo do que observamos muito hoje em dia é que Jeane é uma adolescente hipster que acredita ser superior aos outros, se opondo a qualquer pessoa que vá contra a sua ideologia - daquelas que acreditam que devem aceitar seu estilo mas não chega perto de aceitar o dos outros-, por conta de seu estilo inovador e próprio, e seu entendimento sobre moda, além de ter um super blog e já levar uma vida de empresária. Se acha totalmente auto-suficiente, mas na realidade ela está tão sedenta por atenção e carinho e não pode contar com mais ninguém em sua vida. 
Fruto da geração y, durante o decorrer do livro ela nos mostra muito além de apenas um romance, mas uma descoberta de quem ela é, mostra seus problemas, e ao separarmos suas camadas, conseguimos ver que dentro de cada pessoa, existe um (ou vários) sentimento e complexidade.

Mas o livro tem seu lado ruim. Não gosto tanto de cenas muito quentes, e apesar de totalmente superficiais, não achei algo relevante no livro. Em alguns momentos achei o desenrolar da história muito devagar, e apesar da escrita fluir extremamente bem, algumas coisas poderiam ser aparadas, cortadas. A capa do livro, assim como a sinopse, são horríveis, e acredito que o título ao menos poderia ser como no inglês - Adorkable. E não, Michael Lee não é um dos personagens mais marcantes, infelizmente.

Paguei apenas dez reais no livro, e valeu muito a pena. Recomendo a leitura, e pra quem já leu, gostaria de saber se gostaram ou não do livro. Beijos 

Um comentário:

  1. Confesso que pela capa eu não compraria o livro, mas parece uma boa história. Gostei muito da sua resenha, eu particularmente prefiro resenhas assim, com um estilo mais livre.
    Beijos!
    http://eusuponho.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir